Shure abre sede no Brasil

No Brasil, a cantora mineira Paula Fernandes usa microfones e sistemas de monitoração de som da norte-americana Shure – maior fabricante mundial de microfones e produtos eletrônicos de áudio –, sendo uma artista associada à marca. Lulu Santos, Diogo Nogueira e a dupla Chitãozinho e Xororó também. Recentemente, a rádio Super Notícia FM, inaugurada há pouco mais de dois meses, também passou a integrar o quadro de clientes da Shure.

“A rádio Super Notícia FM está com um equipamento de ponta, de última geração, que foi lançado em maio deste ano na NAB (maior feira de radiodifusores do mundo), que acontece em Las Vegas, nos EUA. A rádio tem uma estrutura moderna”, conta Priscila Berquó, gerente nacional de vendas da Shure.

Com clientes no mercado artístico, de broadcasting (emissoras de rádio e de TVs), varejo eletrônico (e-commerce) e no setor de instrumentos musicais, a Shure vende para mais de mil lojas autorizadas no Brasil.

Investimento. Diante de um mercado promissor, a multinacional inaugurou há dois meses sua sede no Brasil. Fundada em 1925, a gigante do setor de microfones, equipamentos e soluções de áudio atua no Brasil há 21 anos. “Há dois anos, começou um processo de implantação da sede, e há dois meses ela foi inaugurada. A subsidiária da Shure no Brasil tem 15 pessoas atuando no mercado de áudio profissional, mercado de som instalado e varejo”, informa.

A empresa, de acordo com a executiva, está fazendo um investimento pesado e de longo prazo no Brasil. Sem divulgar volumes, Priscila diz que a visão da Shure para o país é para os próximos 20 anos. “O investimento inclui a sede em São Paulo e o time de pessoas qualificadas e especializadas para atender os mercados verticais em que atua”, explica.

Com mais de 30 unidades de fabricação e escritórios regionais de vendas em países das Américas, Europa, Oriente Médio, África e Ásia, Priscila conta que a infraestrutura no Brasil vai permitir à empresa desenvolver mais o mix de produtos e vender melhor o portfólio composto por mais de 1.500 produtos.

Com sede no Brasil, a Shure abre um canal de informação com o cliente final. “O cliente sempre quer falar com a empresa”, explica Priscila. “O Brasil é um mercado importante para a marca Shure e para a América Latina. E tem crescido ao longo dos últimos”, conclui a executiva.

Líder. A Shure foi reconhecida pela Global Presence Alliance (GPA) com o Prêmio de Provedor de Excelência 2017. Neste ano, a Shure foi a líder de pontuação em categorias votadas por mais de 28 empresas em 40 países.

Equipamentos

- A Shure é reconhecida como a maior fabricante mundial de microfones e produtos eletrônicos de áudio.
- A empresa desenvolveu e fabricou vários produtos de áudio profissional e de consumo que se tornaram referência de mercado por seu desempenho, confiabilidade e valor.
- A linha da Shure inclui microfones com fio e sistemas de microfone sem fio, de monitoramento pessoal intra-auricular, de conferência e discussão e de áudio em rede, premiados earphones e headphones, além de cartuchos fonográficos.


Minas Gerais está entre os principais mercados da marca

Minas Gerais está entre os mercados mais importantes da Shure no Brasil, conta a gerente nacional de vendas Priscila Berquó. “É uma das principais praças do Brasil. A demanda maior do Estado é a compra de praticamente toda a linha de produtos em todos os setores, como o de som instalado, varejo, broadcasting e áudio profissional para bandas, locadoras de sonorização e estúdios de gravação”, informa Priscila, que está no mercado de áudio e música há 17 anos, sendo os últimos oito meses na Shure.

Em relação a produto, Priscila conta que o mais vendido e mais conhecido da marca é o SM58 – um microfone de mão próprio para diversas aplicações e vários profissionais, como palestrantes, cantores, pastores de igreja – que custa R$ 989. Com microfones que vão de R$ 450 a R$ 70 mil, Priscila explica que tudo depende do projeto para microfones.