Dois anos sem Zé Rico

Há dois anos atrás, num dia nublado como o de hoje, na condição de jornalista era obrigado a informar a morte de José Rico. Posso dizer que para mim foi muito complicado, pois além de grande admirador de seu trabalho, sou um fã de toda a obra de José Rico.

Dois anos se passaram e a saudade do "Zum" vai aumentando. O fato de saber que nunca mais poderemos ver um show, conversar, entrevistar é uma sensação estranha, porém, como tudo na vida tem um ponto final, em 2015, José Rico teve um ponto final em sua vitoriosa vida, mais sua obra, seu trabalho, suas composições e o inesquecivél "Orrupa...orrupa" ecoaram por muitos e muitos anos.

José Rico se encontra no alto da arte da música sertaneja, ao lado de Tonico e Tinoco, Tião Carreiro e Pardinho, Leandro, João Paulo, Duduca, Barrerito e tantos outros grandes nomes que marcaram e modificaram a forma como ouvimos música sertaneja...

No ano 2000, José Rico ao lado do parceiro de mais de quarenta anos, Milionário, gravaram o albúm "Sentimental Demais", que veio a ser o 25º da carreira das "Gargantas de Ouro do Brasil", na faixa 13 desse referido CD, tinha a bela canção "Tributo aos Amigos", uma composição de José Rico e Oscar Safuan... Coincidencia ou não, no encarte em que tem a música que dá nome ao CD "Sentimental Demais", tem também a música "Tributo aos Amigos", onde aparece somente o cantor Milionário... Mais um daqueles detalhes da vida...

Estrada longa da vida!!!

Confira a letra de "Tributo aos amigos"

A saudade
Bateu no peito
Não teve outro jeito
A não ser chorar
Ao lembrar dos velhos companheiros
Que partiram
Pra não mais voltar
Deixaram muitas lembranças
E lindas melodias
Bailão do luar

Belmonte
Duduca
Tonico
E o rei do pagode
Formaram um quarteto no céu
Com as canções mais lindas
Louvando ao Pai
Ohhh ohhh ohhh

"Saudade é coisa da vida
Que judia da gente
Mas alimenta a alma
Entre tantos companheiros
Que partiram
Ted Vieira, Palmeira, Luizinho,
José Fortuna, Teixeirinha, Gildo de Freitas,
Nonô Basílio, Peão Carreiro

Leandro, João Paulo, Barrerito
E o poeta Goiá
Formaram assim
Uma escola de canto
Que o sertão e a cidade
Aprenderam a cantar"

A saudade
Bateu no peito
Não teve outro jeito
A não ser chorar
Ao lembrar dos velhos companheiros

Que partiram
Pra não mais voltar
Deixaram muitas lembranças
E lindas melodias
Bailão do luar

Belmonte
Duduca
Tonico
E o rei do pagode
Formaram um quarteto no céu
Com as canções mais lindas
Louvando ao Pai
Saudade

Tributo aos Amigos