Enrique Valcanaia lança "Mastigando Água"

O cantor Enrique Valcanaia lança hoje (23/02) "Mastigando Água" a sua nova música de trabalho. A principio pode soar estranho o título, porém a música é bem forte e trata do preconceito, infelizmente ainda existente para com o "homem do campo", que no nosso Brasil atual, representa uma fatia enorme na balança comercial brasileira.

A participação do agronegócio na balança comercial brasileira atingiu 43,3% da receita no primeiro semestre (2016) e apresentou crescimento de 5 pontos percentuais em relação aos 38,2% em igual período do ano passado (2015). Os dados compilados pela Secretaria de Relações Internacionais (SRI) do Ministério da Agricultura mostram que, enquanto o faturamento das exportações do agronegócio cresceu 10,7% e somou US$ 49,572 bilhões, nos demais setores da economia houve queda de 10,3% para U$$ 64,944 bilhões.

Os números mostram a força da "roça", que é a responsável direta para a manutenção de uma balança comercial equilibrada.

Como diria um velho amigo... " Se a cidade acabar, o campo levanta a cidade, agora se o campo acabar...Aí teremos um grande problema"...

Seguindo essa linha, o jovem cantor Enrique Valcanaia lança sua nova música, homenageando o homem do campo, o produtor rural, aquele que nos luta diariamente junto a terra, contra a intempéries do tempo, para colocar o pão em nossa mesa.

A letra de "Mastigando Água" é bem feita, nos fazendo viajar no tempo...

Confira a letra:

Você por tantas vezes fala mal de mim
E o motivo até eu juro que eu não sei
Eu não devo ser um cara tão ruim
Se o que te mata a fome foi eu quem plantei
O que te aquece o corpo é cria lá de casa
Cobertor de lã, o pão e o café
Sou um sertanejo adoro o meu país
Sou desse meu jeito e assim sou feliz
E você me diga por favor quem é

Quem é você
Será que já curtiu o amanhecer no mato
A relva molhada e os pés sem sapatos
Será que já tocou a terra com as mãos?
Quem é você
Que só fala bonito e não ajuda em nada
Que tem a alma seca e a terra abandonada
O que você plantou nesse seu coração?

Não troco meu sono por dinheiro seu
Não troco meu sossego pela vida sua
E sempre que amanhece eu agradeço a Deus
Por mais um dia em que o trabalho continua
Você vive dizendo que eu sou caipira
Pra que alimentar no peito tanta mágoa?
Se eu cruzar os braços como é que vai ser?
Quando bater a fome vou pagar pra ver
Você comendo areia e mastigando água

Vida longa aos trabalhadores rurais de todo o mundo, principalmente o Brasil, que mesmo apesar de uma industrialização em massa, depende ainda do trabalho e do suor do lavrador...

No Sertanejo Bão você faz o Download desse sucesso!

Abaixo você confere o clipe: